carregando

Digite para pesquisar

Vida rural: quem planta, colhe!

Uma das atividades mais saudáveis atualmente está no cultivo de hortas, sobretudo aquele tipo de horta feita em casa, sem agrotóxicos

A vida moderna em sua rotina, o crescimento das cidades, a alteração significativa do padrão de vida que obriga muitas famílias a instalarem-se em apartamentos, fez surgir uma série de alternativas que tentam manter o ser humano em contato com a natureza.

Uma das atividades mais saudáveis atualmente está no cultivo de hortas, sobretudo aquele tipo de horta feita em casa, sem agrotóxicos, que faz germinar folhas mais verdes e frescas, temperos à mão e as ervas – tão usadas na cozinha. O aroma delicioso que expandem o manjericão, a hortelã e o alecrim, o alface, a couve e o repolho fresquinhos, nunca foram substancialmente distantes da realidade de ninguém, já que sempre há possibilidade de se produzir uma horta caseira com esses alimentos, mesmo em apartamentos.

Para quem não tem tempo ou mesmo não possui um espaço propício, existe a alternativa de se cultivar uma horta em um lugar fora de casa, onde seja possível frequentar toda semana. Entretanto, onde quer que seja, esse compromisso com o cultivo de uma horta constitui uma das atividades mais recompensadoras, pois quem planta, colhe!

Dispensando qualquer produto muito industrializado que possa ser adicionado ao cultivo, sobretudo qualquer tipo de agrotóxicos, toda família residente em casas e apartamentos, nas grandes cidades, poderá realizar pequenas hortas seguindo algumas indicações e utilizando um método bem simples.

O itinerário de tratamento dos vegetais em casa deve seguir o seguinte padrão: toda horta deve receber luz solar durante o período da manhã ou da tarde, desde que totalizem quatro horas diárias de banhos de sol, para processo fotossintético. Todo mês será necessária nova adubação, utilizando húmus, farinha de osso ou de qualquer outro composto orgânico em uma proporção de até 200 g para cada m² de terra, e, com isso, se renova os suprimentos que as plantas precisam.

Quanto cultivada em vasos, a horta requer maiores cuidados. O recipiente necessita de pequenos buracos no fundo, que poderão ser forrados com cacos de telha ou mesmo argila expandida; em seguida será acrescentada a areia, finalizando com terra já adubada. As hortaliças não constituem variedades botânicas mais perenes, portanto, sempre serão repostas. São mais trabalhosas, frágeis e de vida curta, mas, dão bons frutos.

Apesar de exigente, o trabalho de horta é tão simples e importante que até as crianças podem participar, desde que sejam acompanhadas. É como uma aula de botânica na prática, pois os pequenos são conduzidos a adquirirem delicadeza, observação e cuidado, além de poderem, com o tempo, saber catalogar na memória e de forma elementar as verduras e temperos, entre outras espécies, tais como: a rúcula, alface, cebolinha, tomilho, hortelã e camomila.

São diversos tipos de horta, dentre as quais citamos:

  • Hortinhas gourmet: Cultivadas em jardim;
  • Temperos na vertical: Que consiste em cultivar biombos de ripas de madeira cumaru, de mais ou menos 3 por 1,8 m, que podem abrigar vários vasos com diversos tipos de espécies que produzem temperos. Alguns exigem cuidados diários e outros menos exigentes – podem ser organizados em uma hierarquia, além de dar a chance de se criar um ambiente esteticamente mais bonito e prático, mesmo para quem tem pouco espaço;
  • Horta Provence: Que consiste em uma coleção de vasos de barro, ocupando grande parte de um jardim. Algumas espécies são próprias para esse cultivo, como o manjericão verde e o roxo, a cebolinha e até o alecrim; incluindo, também, espécies de chás. Quem tem animais de estimação necessitará instalar os vasos em locais mais seguros, que permitam a germinação.

E, para as pessoas apaixonadas pelo cultivo de horta e que não têm tempo de dedicar-se durante a semana, o Santa Mônica Clube de Campo oferece uma ótima opção. No Clube todo horticultor tem chance de preparar seu canteiro, escolher as mudas, plantar e colher a produção sob sua responsabilidade. Tudo será cultivado em um viveiro especial para associados de todas as idades, de ambos os sexos, em grupos de amigos, famílias, ou mesmo de forma solitária, em um local só para si.

Uma grande estufa pode acomodar todo tipo de mudas que germinam em diversas épocas do ano. Todos os aspirantes a horticultores têm acompanhamentos semanais, sob a responsabilidade dos administradores do Clube, seja na assiduidade, seja na manutenção do lote e na própria produção. Todos os associados interessados poderão realizar suas inscrições no Cadastro-Geral de Horticultores, a Casa da Horta.

Vale a pena conferir. Mais informações aqui.

Clube de Campo Dicas Família Lazer