carregando

Digite para pesquisar

Que tal se aventurar no Slackline?

Além de trabalhar o equilíbrio do corpo, o esporte ajuda a relaxar a mente e melhorar a concentração.

Praticar exercícios físicos é importante para termos uma vida saudável. Há várias formas de movimentar o corpo, desde as atividades mais tradicionais como caminhada e corrida, até esportes mais radicais como o slackline, por exemplo.

O slackline é um esporte radical que trabalha o equilíbrio, a capacidade de se mover em pé sobre uma fita acima do chão, geralmente presa entre duas árvores. Apesar de ter uma fama recente, a modalidade surgiu já há algum tempo, mais precisamente na década de 1980, nos Estados Unidos, no Vale de Yosemite. Nesse local haviam pessoas que acampavam e faziam escaladas. Então, usando fitas do material de escalar, começaram a ficar sobre elas para melhorar seu equilíbrio, assim treinando e aperfeiçoando a escalada.

Apesar de ter surgido há tantos anos, no Brasil a prática se tornou conhecida por volta de 2010, nas praias.

Por que praticar Slackline?

Além de trabalhar o equilíbrio do corpo, o esporte ajuda a relaxar a mente e melhorar a concentração. É necessário muito foco para se manter firme na fita e não cair.

Outros benefícios da prática são:

  • Trabalho de pernas, abdômen e braços;
  • Apesar de parecer difícil, é um esporte de baixo impacto;
  • Ajuda a queimar calorias;
  • Desenvolve e aprimora os reflexos;
  • Melhora a coordenação motora.

Esse estilo de esporte é também uma ótima alternativa para quem busca preparo e resistência física.

Quais são as modalidades do Slackline?

Existem nove formas de praticar a modalidade, que variam de acordo com a altura da fita, as manobras feitas, entre outros detalhes.

Slackline – é por onde começa o esporte, sua forma mais básica. Consiste em andar de um lado ao outro sem cair ou ficar parado sem perder o equilíbrio, coordenando bem o próprio corpo sobre a fita.

Longline – se trata de uma forma mais longa de cruzar a fita de um lado a outro. Quanto maior a distância, maior o esforço do corpo para manter-se em pé. O longline não é indicado para esportistas iniciantes, apenas para os que já têm prática.

Highline – esse é o tipo mais radical. Feito nas alturas, a fita deve estar no mínimo a seis metros acima do chão. Há a possibilidade de fazer com uma corda amarrada no corpo e na fita ou totalmente livre, contando apenas com a força do equilíbrio para não cair.

Waterline – uma modalidade leve que mistura água e diversão. Neste caso, a fita fica sob a água que serve como amortecedor em caso de queda, isso também permite a criatividade do praticante em ousar nas manobras.

Jumpline – nesta modalidade são usadas fitas mais largas para que o esportista possa fazer manobras com pulos mais altos.

Trickline – essa modalidade é a mais popular, a única que tem competição oficial. Nela há mistura de fitas, entre mais estreitas e mais largas e conta com pulos como manobras.

Baseline – essa prática envolve paraquedismo, mistura as técnicas do highline, de caminhar em grandes distancias, com pular de paraquedas.

Shortline – a prática mais simples e mais segura, até mais que a primeira. O shortline é feito em distância curta e com poucos centímetros acima do chão.

Yogaline – nesta modalidade o esportista mistura yoga e o equilíbrio sob a fita.

Praticar Slackline é uma excelente forma de manter o corpo ativo e conhecer um esporte, que apesar de radical, pode ser realizado por todos e em qualquer lugar.

Ficou curioso e quer treinar? Que tal aproveitar a estrutura do Santa Mônica Clube de Campo? O Clube conta com bastante espaço ao ar livre para você iniciar e aprimorar suas habilidades no Slackline. Clique aqui e saiba mais.

Atividades Físicas Esportes Treino ao ar livre