carregando

Digite para pesquisar

Probióticos e prebióticos: veja as diferenças

Saiba mais sobre a importância e em quais alimentos são encontrados.

Quando se fala em probióticos e prebióticos não é raro haver certa confusão, troca e, até mesmo, generalização de seus conceitos. Mas é preciso cuidado, pois trata-se de algo relacionado com a saúde, por isso, preparamos esse artigo para explicar um pouco mais sobre o que são e qual a importância de cada um deles. Curioso? Continue a leitura e saiba mais!

Prebióticos e probióticos: o que são e para que servem?

Os probióticos são microrganismos que, quando são associados aos alimentos, auxiliam na manutenção e na saúde da flora intestinal. Dessa forma, eles ajudam a manter o organismo equilibrado e estável, promovendo o aumento das bactérias que fazem bem ao intestino.

É interessante observar que esses microrganismos podem fazer parte, como um dos componentes, de uma série de alimentos industrializados, como em iogurtes e leites fermentados. Além disso, eles também são disponibilizados nas opções em cápsulas e em pó.

Importância: Há uma série de estudos que já comprovaram os diversos efeitos positivos dessas bactérias para o corpo e saúde das pessoas. Dentre os benefícios, temos alívio da constipação intestinal, fortalecimento do sistema imunológico, melhor absorção de nutrientes, diminuição da intolerância à lactose e níveis menores de colesterol.

Com relação aos chamados prebióticos, tratam-se de fibras alimentares solúveis e carboidratos não digeríveis que são muito resistentes ao processo de digestão, de forma que chegam ao intestino intactos.

O fator positivo é que, ao chegar nessa região, eles estimulam o crescimento e proliferação de bactérias benéficas – os probióticos, de que falamos anteriormente.

Importância: Consumir esses alimentos é uma forma de garantir ainda mais a saúde e a manutenção da flora intestinal. Os prebióticos, assim como os probióticos, ajudam no trânsito intestinal, previnem constipação e diarreia (pois melhoram a consistência das fezes) e favorecem a diminuição do colesterol e da glicose.

Alguns exemplos de alimentos com prebióticos são: cebola, trigo, aspargos, raiz de chicória, cerveja, banana, tomate e alho.

Pessoas que exigem muito de seus corpos, como os atletas e esportistas em geral, precisam ficar atentos a esses alimentos. Devido à quantidade de exercícios que praticam e a intensidade exigida do organismo não é raro que sofram alterações na flora intestinal. Lembrando que, quando afetada de alguma maneira, a consequência é a destruição e perda de vitaminas pelo organismo. Além disso, ainda temos problemas sérios como a destruição da mucosa intestinal, produção de toxinas cancerígenas, enzimas inativas e menor absorção de nutrientes.

Atenção! Além dos prebióticos e probióticos ainda temos uma nova classe que, basicamente, une em apenas uma categoria os benefícios apresentados por aqueles dois. Trata-se dos simbióticos – suplementos, biscoitos e alguns lácteos contam com eles e, normalmente, precisam ser indicados por um profissional.

Mas, nesse caso, é preciso cuidado: como ainda é algo novo existe uma forte discussão sobre quais os reais efeitos que trariam para o corpo.

Se você quer cuidar ainda mais da sua saúde, venha treinar no Santa Mônica Clube de Campo. São diversas modalidades esportivas, como Karatê, Natação, Ginástica Rítimica e Hidroginástica. Tudo com uma excelente estrutura física e próximo da natureza! Clique aqui e saiba mais.

Alimentação Cuidados Saúde