carregando

Digite para pesquisar

Os problemas da unha encravada para os esportistas

Se você é atleta e já sabe que possui predisposição para unhas encravadas, deve seguir algumas dicas para prevenir que as unhas encravem.

As unhas encravadas (cujo nome técnico é onicocriptose) são um problema para qualquer pessoa, já que mesmo os calçados mais confortáveis não livram a pessoa das dores e incômodos. Porém, os problemas da unha encravada para os esportistas são ainda maiores — podendo, inclusive, afastar os atletas dos treinos e das competições.

Por que a unha encrava?

A unha encrava quando sua borda cresce e entra (literalmente) na pele do dedo, causando dores. Se não for retirada, pode levar à inflamação e até a uma infecção. Geralmente, a unha encravada acontece pelo seu corte incorreto, ou seja, quando o corte “invade” os cantos das unhas.

Com isso, fica claro que o encravamento das unhas sempre se relaciona ao processo de corte e crescimento. Algumas pessoas têm predisposição para ter unhas encravadas. Isso porque, elas possuem curvatura da unha já propícia ao encravamento, ou seja, as bordas são bem envergadas para dentro da pele.

Como prevenir a unha encravada?

Se você é atleta e já sabe que possui predisposição para unhas encravadas, deve seguir algumas dicas para prevenir que as unhas encravem, são elas:

  • Corte as unhas dos pés de corretamente, ou seja, nem muito quadrada e nem totalmente arredondada, mas sim contornando o formato natural do seu dedo. Atenção! Se a sua unha for curvada demais, não a corte muito reta – neste caso, o esportista deve manter uma rotina de cortar as unhas com uma podóloga;
  • Evite usar calçados apertados e de bicos finos. Lembre-se de que os dedos precisam de espaço para conseguir se movimentar;
  • Evite os cortadores de unhas. Em vez deles, use alicates de corte específicos para unhas, pois sua curvatura facilita o acompanhamento do formato da unha;
  • Examine seus pés com frequência. Se você é um esportista — profissional ou amador — observe sinais como vermelhidão, inchaço ou mesmo uma descoloração. Além disso, flexione os dedos dos pés para verificar se sente dor. Também observe seus dedos ao menor sinal de dor ao andar, correr ou até mesmo ao ficar em pé. Em caso afirmativo, verifique se o problema não é uma unha encravada.

Como tratar a unha encravada?

Uma unha encravada sempre deve ser tratada com um profissional adequado, como um podólogo ou mesmo um médico dermatologista — quando há infecção, pois é possível que a pessoa precise tomar antibiótico.

Assim, mesmo nos casos iniciais, não tente tratar a unha encravada sozinho, sempre, procure um especialista para que o problema não vire um ferimento.

Há três graus de unhas encravadas. No grau I (quando só há dor), o problema pode ser contornado com métodos conservadores como colocação de algodão entre a unha e sua borda lateral, aplicação de cremes com antibióticos e uso de órteses de acrílico.

No grau II, ocorre dor e uma secreção sanguínea e/ou purulenta. Já o grau III apresenta, além das características anteriores, hipertrofia da área afetada pela unha encravada.

Se o problema de unhas encravadas dos esportistas (ou de qualquer pessoa) já estiver mais grave (graus II e III), são recomendadas pequenas cirurgias para retirar a parte da matriz e lâmina da unha, além da borda lateral hipertrofiada, bem como do tecido inflamado. É fundamental lembrar que essas cirurgias só devem ser feitas por médicos.

Venha praticar atividades físicas no Santa Mônica Clube de Campo! O Clube possui diversas modalidades esportivas, além de eventos culturais e sociais. Clique aqui e saiba mais.

Cuidados Dicas Esportes