carregando

Digite para pesquisar

Iniciação esportiva – importância da psicomotricidade

Na iniciação esportiva, a Psicomotricidade dá à criança a oportunidade dela se conscientizar sobre seu corpo.

Você já ouviu falar em Psicomotricidade? Sabe da sua importância no desenvolvimento das crianças? Neste texto, vamos discorrer sobre esse assunto, já adiantando que a importância da Psicomotricidade na iniciação esportiva é bastante expressiva e seus benefícios acompanharão a pessoa por toda a vida, não apenas na infância. Acompanhe!

O que é Psicomotricidade?

Trata-se de uma ação própria do sistema nervoso central que desenvolve uma consciência no ser humano sobre os movimentos que fazemos por meio dos padrões motores, como o tempo, o espaço e a velocidade. Ou seja, a Psicomotricidade tem relação direta da percepção do outro, mas essa ação natural do organismo pode ser estimulada pelos profissionais de Educação Física. A Psicomotricidade leva em consideração a experiência vivida pela pessoa e suas características individuais.

Assim, ao trabalhar a educação psicomotora nas crianças, forma-se uma base indispensável em no desenvolvimento motor, psicológico e afetivo. Ou seja, a preocupação não é apenas com o corpo, mas também com aspectos mentais.

Qual é a importância da psicomotricidade na iniciação esportiva infantil?

Na iniciação esportiva, a Psicomotricidade dá à criança a oportunidade dela se conscientizar sobre seu corpo. Para isso, são utilizados certos tipos de jogos e atividades lúdicas. Por meio da recreação infantil, a criança desenvolve suas aptidões perceptivas.

O repertório recreativo faz as crianças se divertirem, desenvolverem a capacidade motora, a conexão com a atividade executada, além de habilidades sociais e emocionais. As atividades esportivas são capazes de, por exemplo, ensinar a criança a ser mais disciplinada, a seguir regras, a serem mais comprometidas, respeitosas e a trabalharem em equipe.

Todas essas habilidades são muito importantes para que um convívio saudável entre os indivíduos por toda a sua vida. Tudo isso deixa claro que a Psicomotricidade é uma ferramenta fundamental na estimulação de todas as aptidões e características individuais.

Brincadeiras que podem ser realizadas na iniciação esportiva

Em geral, tais brincadeiras são aquelas que estimulam a criatividade. São exemplos:

  • Jogos que envolvem objetos de diversas formas e tamanhos;
  • Atividades com bolas;
  • Jogos de tabuleiros;
  • Atividades com bambolê;
  • Brincadeiras com tecidos; entre outras.

Para as crianças maiores, os jogos em grupo mais indicados são:

  • Futebol ou futsal;
  • Vôlei;
  • Handebol.

Outras modalidades esportivas, como os esportes individuais, também podem ser cogitadas para incentivar os pequenos na prática de atividades físicas. São exemplos, o Judô e a Natação, dois esportes individuais que garantem um bom repertório motor e socioemocional para as crianças.

Qual o papel dos professores de educação física ou educadores na iniciação esportiva?

Cabe a esses profissionais trabalharem a relação de umas crianças com as outras e delas com o espaço. Os professores apresentam às crianças um mundo de possibilidades usando simplesmente a criatividade, mas tais atividades precisam ser cuidadosamente planejadas.

Qual é a importância de planejar a iniciação no esporte?

A iniciação infantil no esporte depende de um bom planejamento. Isso porque o corpo das crianças está em desenvolvimento e, por isso, podem surgir mudanças ao longo do tempo. Nesse período, são comuns tanto as mudanças físicas quanto as psicológicas. Por essa razão, é fundamental que os profissionais desenvolvam um programa para cada criança, individualmente.

Sobre a Recreação no Santa Mônica

O Complexo Lúdico Infantil do Santa Mônica Clube de Campo visa alcançar a excelência em seu atendimento às crianças. Para isso, buscam a perfeição por meio de suas técnicas e práticas. O trabalho propicia a interação entre as crianças de forma lúdica, com jogos, brincadeiras e de oficinas artísticas. Saiba mais aqui

Atividades Físicas Brincadeiras Crianças Saúde