carregando

Digite para pesquisar

Cuidados com o ciático. Você sabe o que é a Síndrome do Piriforme?

Esse músculo garante uma boa estabilidade motora e postural do corpo.

Uma doença bastante comum e que pode acometer tanto pessoas esportistas quanto as mais sedentárias, a síndrome do piriforme é uma inflamação do nervo ciático que tem ligação direta com o músculo piriforme e costuma causar dor que pode variar de moderada a intensa. Acompanhe a seguir como funciona a síndrome do piriforme, seus sintomas e o que você pode fazer para prevenir e combater esse mal!

Entendendo a síndrome

Em geral, a síndrome acontece devido a uma sobrecarga no músculo piriforme gerada por alguma lesão sofrida, excesso de exercícios físicos ou mesmo pela falta deles, gerando grande enfraquecimento dos músculos periféricos ao piriforme, o que termina por atingir o nervo ciático e fazendo com que uma dor súbita e aguda seja irradiada para algumas localidades do corpo.

O músculo piriforme é pequeno, mas possui uma importância enorme para garantir uma boa estabilidade motora e postural do corpo. Está localizado na parte frontal do sacro, terminando no fêmur. É por causa dele que conseguimos nos movimentar e permanecer em pé de maneira equilibrada, bem como andar, pular e correr com precisão.

Sintomas da Síndrome do Piriforme

Quando a crise derivada da síndrome está instalada, as dores podem ser sentidas por várias partes do corpo, sobretudo na parte de trás e na lateral das pernas, partindo especialmente da coluna (região lombar), glúteos ou do quadril, indo dos joelhos até a planta dos pés.

Dependendo do grau de cada caso, pode-se sentir também queimação intensa no local afetado, falta de equilíbrio muscular, ocasionando dificuldade para andar de maneira correta e se manter de pé, sentado ou deitado por muito tempo, sensação constante de dormência e formigamento nas coxas e pés.

Prevenção e tratamento

Além dos sintomas, alguns exames mais específicos ajudam a diagnosticar a Síndrome do Piriforme, como é o caso dos ultrassons, ressonâncias e tomografias. Para tratar as dores ocasionadas pelas crises da inflamação, são receitados desde remédios antiinflamatórios não esteróides (AINE), injeções com anestésicos e uso de bolsas de água quente no lugar da dor.

Também é indicado tratamento realizado por meio de fisioterapia que ajuda a descomprimir o músculo piriforme, aliviando a pressão sofrida no local com consequente alívio progressiva do incômodo. A cirurgia para esse problema é indicada apenas em último caso, quando o quadro da síndrome não apresenta melhora mesmo fazendo uso de todos os métodos citados acima.

A prevenção da Síndrome do Piriforme é feita incluindo na rotina diária alguns hábitos simples como se exercitar com regularidade, mas sem exagero, manter o peso adequado e praticar muito alongamento. Eles podem ser realizados em casa – até três vezes por dia – e sempre após fazer atividades físicas. O alongamento ajuda a relaxar e fortalecer o músculo piriforme e todos os outros localizados ao seu redor, contribuindo para prevenir o aparecimento da síndrome e demais lesões musculares.

Pratique aulas de Alongamento no Santa Mônica Clube de Campo

Sempre preocupado com o bem-estar de seus associados, o Santa Mônica Clube de Campo oferece diversas opções de esportes. A exemplo do condicionamento físico, onde o moniquense pode praticar aulas de Alongamento e Pilates para manter a sua saúde em dia.

Torne-se associado do Santa Mônica Clube de Campo e aproveite esses e outros benefícios. Clique aqui e saiba mais.

Alongamento Aquecimento Atividades Físicas Saúde